ico Carregando...

FSF promove mais um Curso de TMS-FIFA

Autor: ASCOM
Visitas: 95
27/05/2018

Twitter Facebook Google+ WhatsApp WhatsApp

Imagem de Capa

Com o objetivo de capacitar seus colaboradores e representantes de clubes, no que diz respeito à transferências nacionais e internacionais de atletas profissionais, a Federação Sergipana de Futebol (FSF), em parceria com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), promoveu entre os dias 25 e 26 de maio, mais um Curso de Transfer Matching System – TMS FIFA. É a segunda vez que esse curso acontece no Estado de Sergipe.

No primeiro dia, o curso foi dedicado aos colaboradores da FSF que executam atividades junto ao Departamento Técnico, principalmente aqueles ligados à transferência e registro de atletas. O segundo dia foi dedicado aos clubes que enviaram seus representantes. Foram mais de 40 participantes, que aprenderam como trabalhar com o Transfer Matching System – TMS FIFA, um sistema online, para execução de transferências internacionais de atletas.

O curso foi ministrado pelos instrutores da CBF Bernardo Zalan e Vinicius Ferreira, que através de uma moderna tecnologia de ensino, uma didática interativa, explicou de forma detalhada o que vem a ser o TMS FIFA. “Trata-se de um sistema da Fifa, que monitora o mercado internacional de transferências e publica dados oficiais das transações, afim de garantir mais transparência no futebol”, revela Bernardo Zalan.

O TMS-FIFA é uma ferramenta de trabalho que facilita as transações de atletas nacionais e internacionais e os clubes poderão vender, comprar ou emprestar seus atletas para equipes nacionais e internacionais, sem o risco de cometer qualquer infração.

Técnico de futebol e radialista, Ribeiro Neto foi um dos participantes do curso. Ele elogiou a iniciativa da FSF.

 - Trata-se de mais um evento patrocinado pela FSF que engrandece, que nos ensina e abre nossos conhecimentos. É muito importante o detalhe das transferências internacionais. Eu não sabia que hoje em dia está tão rigoroso esse processo de transferência nacional e internacional. Acho que deveria ser anual. Que a FSF tivesse o seu instrutor e esse instrutor devidamente preparado, passasse as orientações para os demais participantes”, concluiu Ribeiro Neto. 

 

Pela FSF concluíram o curso os colaboradores Gleyson Prado, Edileusa Nascimento, Sidney Lima e Ricardo Nascimento.